sábado, 6 de novembro de 2010

Faxina

Hoje fiz uma faxina geral no meu quarto… Joguei fora tudo aquilo que considerei velho, em desuso.
Quero, a partir de 2011, uma vida nova para mim… Novidades, e tudo mais que eu tenho direito. Porém como deixar que isso aconteça se eu me mantenho presa aquilo que já ocorreu?
Muitas coisas que estavam guardadas no meu quarto me ligavam fortemente ao passado. Não que o passado foi ruim, pelo contrário… Foi maravilhoso! Mas não podemos nos manter conectados a coisas que já aconteceram, pois isso não dá espaço para novos acontecimentos em nossa vida.
Boas lembranças são sempre bem-vindas, porém são apenas lembranças. Não podemos revivê-las no presente…


Quero aproveitar esse post para agradecer a Luciana Onofre pelo lindo selinho que me ofereceu em seu blog.
Lú é uma amiga/irmã maravilhosa!!!
Amo, amo!

domingo, 25 de julho de 2010

Chegando aos 30

Estou desde ontem à noite tentando analisar minha última década, mas vejo que não tem como fazer isso.
Foram tantas mudanças de opiniões, tantas experiências, tantas definições...
Tantos amigos feitos, tantas amizades desfeitas... Mortes, nascimentos...
Enfim, vários ciclos dentro de um mesmo ciclo.
Hoje, pela segunda vez, alguém me disse que a fase dos "30" é a melhor que uma mulher pode viver.
Será?
Bom... Faz menos de 24 horas que entrei nela, digamos que ainda não tenho nenhuma opinião formada... hehehehe.
Eu penso, no momento, que toda fase, ou década, é importante para o crescimento pessoal de cada um, e não apenas das mulheres. Cada uma tem sua particularidade. Vamos ver o que a terceira década da minha vida me reservou.

sábado, 17 de julho de 2010

As mudanças e seus primeiros resultados

Nossa! Quase dois meses sem escrever!!!
Hora de atualizar, né?!

Então, como tinha dito antes, mudanças estavam para acontecer e aconteceram. Minhas expectativas de que tudo iria melhorar se concretizaram.
Creio que já não possuo mais a barreira entre mim e os outros.
Sim, outros ares me auxiliaram nisso!
Apesar de estar somente há um mês e meio no emprego novo, parece que já trabalho lá há anos... Já criei uma intimidade legal com minhas colegas de trabalho, algumas, inclusive, do antigo emprego.
Também já perdi o medo de sair nas ruas... Talvez ter me colocado numa situação de "teste" da minha segurança dentro do local de trabalho seja o principal motivo para eu ter novamente a confiança de enfrentar as pessoas fora dele.
Enfim, aos poucos as coisas estão entrando nos seus eixos.
E espero que continuem assim...

Escutando no momento:
"Seres Tupy" - Ney Matogrosso / Pedro Luís e a Parede

quinta-feira, 27 de maio de 2010

Selinho


Mais um selinho que ganhei do Raphael Trew!
Adorooooooo! hehehehehe
Gosto muito mesmo... Obrigada mais uma vez!

Well... As regras são as mesmas e, como no outro selo, vou deixar a imagem aqui para, aqueles que me seguem, ficar a vontade para pegarem.
O único ítem diferente é que devemos falar algo que é mágico para nós.
Para mim, a natureza é mágica! As nuvens, principalmente... As formas que elas fazem no céu!

terça-feira, 25 de maio de 2010

Em resposta à revista Veja

Infelizmente, algumas pessoas ainda tem uma idéia errônea do real significado da palavra "Bruxa", como demonstraram os repórteres da revista Veja na sua última capa sobre a procuradora que torturou uma criancinha de 2 anos de idade, onde escreveram "A Confissão da Bruxa". Como disse Claudia Hauy, chamar uma torturadora de crianças de Bruxa, seria o mesmo que dizer que todos os Padres são pedófilos!

Segue abaixo um texto escrito por mim em maio/2006 sobre o que a maioria de nós, adeptas da Bruxaria e do Paganismo, pensamos sobre o que é ser uma Bruxa. E esperamos, sinceramente, que a Veja reconsidere o que escreveu, reafirmando a seriedade e confiança que tantos brasileiros a atribuem.

"Estou lendo no momento o livro "O templo interior da bruxaria", de Christopher Penczak.
No primeiro capítulo ele trata dos vários significados da palavra "bruxa". Não só a origem como as diversas impressões que podemos ter ao ouvir/ler esta palavra.
Muitos, ao entrarem em contato com a palavra "bruxa" logo vem a mente uma pessoa velha, com um chapéu pontudo, um vestido preto, cheia de rugas na face e uma verruga na ponta do seu enorme nariz. Alguém que mora numa casa velha, longe da cidade, com seu gato preto e que adora fazer maldades com os outros. Além de imaginarem poções mágicas do tipo "uma asinha de morcego, uma perna de rã" ou então alguém que mata criancinhas para comê-las no jantar... Isso me lembra a vez que comprei meu caldeirão. Quando cheguei em casa, a primeira coisa que meu pai falou foi "então é aí que vocês fritam os sapos e cozinham as criancinhas?" hehehe...
Deixando de lado este "modelo" criado pelos contos infantis, vamos ao que interessa.
No final do primeiro capítulo do livro o autor nos incentiva a criar a nossa própria visão do que seria uma bruxa... Então, vamos lá...

O que é ser uma bruxa pra mim?

Nunca pensei que fosse tão difícil passar isso para um papel. Sei exatamente o que significa ser uma bruxa para mim, mas não sei como me expressar para passar o que penso para os outros. Mas, não custa tentar...
Uma bruxa, para mim, é uma pessoa comum, como todas as outras, mas ao mesmo tempo diferente. É uma pessoa sensível a tudo que acontece a sua volta. Alguém que está sempre atento aos sinais que a Natureza nos oferece. Que aprecia a chuva caindo no chão e o cheirinho de terra molhada; as ondas do mar vindo e voltando; a lua no céu; o sol que nos ilumina e aquece.
Uma bruxa não precisa fazer feitiços para ser considerada como tal, muitas nem sabem que são bruxas. Essas pessoas vivem da magia, mas talvez nem saibam o significado desta palavra. A magia delas é colocar ervas dentro de um pouco de água fervida para curar uma doença; de jogar ingredientes dentro de uma panela e tranformá-los num saboroso alimento; de plantar uma semente no quintal, ou num vaso, e cuidar dela até que esta semente cresça e se torne uma linda flor. E elas vivem tudo isso tão itensamente que acabam passando uma ótima energia aqueles que estão a sua volta.
Não há uma religião específica para as bruxas, porque a magia não tem religião. Ela acontece em todo lugar, seja rituando para os seus Deuses, seja orando dentro de uma Igreja. A magia está presente em tudo o que fazemos, independente daquilo que acreditamos.
Acredito que para ser uma bruxa, basta prestar atenção nesta magia que acontece a todo momento, e conseguir conduzir esta energia para um propósito, mesmo que isso seja um ato incosciente.
Sei que muitos não vão concordar com esta minha visão do que é ser uma bruxa, então, deixo a pergunta:

E, para você... O que é ser uma bruxa?" 


(Daniela Garcia)

domingo, 23 de maio de 2010

Futuro

Hoje a tarde estava assistindo "Gilmore Girls" com minha mãe.
Pra quem não conhece, eis uma sinopse aqui.
Uma das personagens principais citou uma frase que ficou na minha cabeça:
"Não há hora melhor que a presente".

Pensando nessa frase, e refletindo sobre uma decisão que tomei essa semana, de forma inesperada e compulsiva, vi que, talvez, essa tal iniciativa na 'hora presente' daquele momento foi a melhor que poderia ter escolhido.
Amanhã começa um novo futuro pra mim. De certa forma, ainda incerto, porém novo.
Não sei exatamente o que vai acontecer, quem vou encontrar, etc... E, como sempre, quando mudanças acontecem, estou fazendo sacrifícios devido a decisão tomada.
Espero que não me arrependa, porque não tem mais volta, nem que eu queira!

Com essa mudança brusca, tenho esperança de mudar outros 'campos' da minha vida que estão estagnados há tempos.
Ok, sei que é errado eu colocar minhas esperanças num acontecimento, sendo que esses 'campos' já poderiam ter sido mudados antes.
Mas é que respirar outros ares me anima mais pra isso!

sexta-feira, 21 de maio de 2010

Saudade

Hoje estou com saudade de algo que nunca tive...
Está apertando tão forte o peito, que parece até uma dor física.
Dá vontade de gritar, de sair correndo, sei lá...
Só sei que é insuportável!


Foto: eu mesma, em julho de 2005.

Outro selinho

O Raphael Trew me presenteou com mais um selinho.
Agradeço muito esse gesto, pois, para mim, é um grande elogio que recebo com relação aos meus escritos.
Obrigada, mesmo!

Bom, como todos os selos, ele tem regras:
- Dizer duas coisas que fazem você sorrir: criança brincando e idoso feliz.
- Dizer uma coisa que faz você sorrir sobre o blog do qual recebeu o selo: a sensibilidade do autor.
- Indicar o selo para 5 a 20 blogs e avisá-los: bom, essa vou deixar pra quem quiser pegar o selinho, pois todos que comentam aqui são pessoas maravilhosas e que adoro!

Lógico que a regra principal é mostrar o selo no blog, e aí está ele:

quinta-feira, 13 de maio de 2010

A Justiça e A Torre

Antes das minhas férias acabarem, já prevendo que novidades aconteceriam comigo no novo ano de trabalho, resolvi, depois de muito tempo, tirar uma lâmina de tarot. (Eu uso o Mitológico).
Ao embaralhar as cartas, caiu "A Justiça", ou seja, Athena, a Deusa com quem tenho mais proximidade.
Minha intuição falava para retirar mais uma lâmina, como um complemento, e, obedecendo o que eu sentia, terminei de embaralhar e escolhi uma carta: saiu "A Torre", que é representado pelo Labirinto de Minos.
No momento fiquei sem entender essa combinação, confesso.
"A Justiça" me trouxe um sentimento que achei até, na hora, mais adequado para "Os Enamorados". Um sentimento de escolhas. Já "A Torre", como sempre, me mostrou que algo deveria ser derrubado para ser reconstruído, o que me pareceu bem estranho, já que tudo estava caminhando para exatamente aquilo que eu queria dentro do meu emprego.
Porém coisas foram acontecendo na primeira semana de trabalho, e hoje, na quinta-feira da segunda semana, já consigo identificar bem o que essas duas lâminas queriam me dizer.
Sim, fiz uma escolha na última terça-feira que todos aqui em casa acharam ser a melhor que eu poderia fazer. E, sim, com a escolha que fiz, haverá uma mudança muito grande que eu não sei se dará certo, mas que precisa ser feita.
Infelizmente, vou me distanciar de pessoas que tanto gosto, que talvez não veja mais, porém há momentos que precisamos deixar a razão falar mais alto que a emoção, precisamos criar estratégias para chegar até o meio do labirinto sem se perder, para conseguirmos voltar e recomeçar.

sábado, 8 de maio de 2010

Mais um selinho


Ganhei mais um selinho, dessa vez do Raphael Trew.
Obrigada, viu!? Eu adorei!

Vamos as regras, então:
- Exibir a imagem do selo no blog.
- Exibir o link do blog que você recebeu a indicação (está ali em cima, viu?!)
- Escolher 10, 15 ou 20 blogs para dar a indicação e avisá-los.

Ok! Vamos aos blogs escolhidos agora:
Cantinho Vegetariano
Oráculo da Bruma
Germinando
Dea Matter
1... 2... 3... Sex and The City
Grafias Noturnas
Kharis Selene
A Vida Nova da Rafa
Sagrados Segredos da Terra
Amor & Cia Ltda
Ora Bolas de Pelo
Máquina de Letras
Epifanias
Serendipities
Virgo Sum

sábado, 1 de maio de 2010

Férias X Trabalho

A partir de amanhã volto a minha vida (quase) normal.
A maioria das pessoas diz que as férias passam rápido... Para mim, parece que faz um século que não trabalho.
Não me sinto útil quando não estou trabalhando, não gosto dessa sensação.
Sim, descansar é preciso, e eu realmente precisava, mas 30 dias são demais para mim!
Aliás, é a primeira vez que fico 30 dias de férias... Antigamente, quando ficava 15 era uma vitória!!!
Sinto-me totalmente perdida... Parece que minha vida não vai pra frente!
O bom é que deu tempo para pensar em muita coisa, olhar para mim mesma e analisar o que precisava ser mudado.
Penso que voltarei mais madura ao trabalho amanhã... Vamos ver!
Não sei como andam as coisas por lá, então não tem como prever muita coisa, já que decidi ficar totalmente sem notícias do trabalho (a não ser certos detalhes que ficaram para serem resolvidos em abril, mas que não me tomaram muito tempo... e foram positivos!)

Bom, é isso!
Feliz dia do trabalhador para todos, que eu vou comemorar o meu voltando ao trabalho!
=)

sexta-feira, 23 de abril de 2010

A Muralha

Agora pouco estava pensando sobre a muralha que criei ao meu redor.Percebi que ela não foi feita de concreto... E talvez não seja tão difícil assim derrubá-la. Na verdade, sempre acreditei que não seria fácil porque nunca tinha tentando antes.
Eu construí minha muralha de papel. Muitos papéis.
Em um determinado momento da minha vida deixei de prestar atenção nas pessoas e direcionei todos os meus olhares aos livros, e são deles que minha muralha é feita.
Não preciso ter pena em derrubá-la, pois todas as coisas boas que os livros me trouxeram já estão guardadas em minha memória, não há mais necessidade de mantê-los na minha frente, fazendo essa divisão entre mim e o mundo.
Outros livros virão até mim, com certeza, pois não vivo sem eles. Mas dessa vez serão utilizados apenas para me instruir, não para me afastar nem me isolar.
O isolamento, no início, é algo bom, mas ele também tem prazo de validade.
E o meu já venceu faz tempo!

terça-feira, 20 de abril de 2010

Saber Conviver


Hoje em dia, o mundo virou uma disputa de egos. A convivência entre as pessoas está sempre no limite de “estourar”. Uns sempre querendo ser melhores que outros, querendo mais status, onde possam se sentir superiores.  Se irritam com facilidade com qualquer coisa...

Por isso fiz questão de divulgar e aderir a campanha criada pela Luciana Onofre no Crianças Pagãs: “Saber conviver”.
Ao mesmo tempo que é fácil manter uma convivência saudável com aqueles que nos cercam, nosso egocentrismo faz com que essa tarefa não seja tão simples assim. Porém, muitas vezes, podemos mudar essa situação com um pequeno gesto, e vou dar um exemplo real disso:
Certa vez trabalhei com um rapaz que entrava na empresa sem falar com ninguém e saía mudo. Não dizia bom dia, boa tarde... Não perguntava como estava o dia dos outros funcionários, nada... Era só ele e sua “cara fechada”. Então resolvi que daria “bom dia” toda vez que ele entrasse na empresa de manhã cedo... E assim foi... Fiquei dias e dias sem receber um retorno, mas não desisti... Bastava ele pisar dentro da empresa, e eu: “Bom dia, Fulano!”, mesmo sabendo que não teria resposta. Até que um dia ele me respondeu, e assim começou a fazer todos os dias. E quando eu não falava o “bom dia”, ele me lembrava: “Bom dia, Dani!”. Então, de repente, ele não só passou a dar bom dia, como também perguntar como estavam as coisas, se o trabalho estava rendendo, etc...
Sabe aquela coisa de “se você quer mudar o mundo, comece por si mesmo”? Então!
Está na hora de mudarmos nossas atitudes para a melhor convivência entre nós. Sorrir para quem passa ao seu lado na rua... Cumprimentar o motorista do ônibus... Agradecer ao rapaz que carrega suas compras até seu carro no supermercado...  São pequenas atitudes que fazem uma enorme diferença no dia de alguém... E ainda são de graça!
Pensem nisso! ;)

quinta-feira, 15 de abril de 2010

Menina prendada

Eu adoro trabalhos manuais, mas preciso aprender a ter paciência para fazê-los.
Eu sei bordar, tricotar, pintar, crochetar (um pouco)... Sim, sou bem prendada... Mas quem disse que tenho paciência para terminar os trabalhos que começo?
Esse cachecol da foto terminei ontem à noite, porém comecei a fazê-lo no inverno do ano passado... Sim, quase um ano atrás.
Terminar esse cachecol foi uma vitória para mim!
Pretendo me dedicar mais aos trabalhos manuais esse ano, até como terapia, para desacelerar um pouco... Jogar todo stress do dia-à-dia nas lãs e agulhas!

sábado, 3 de abril de 2010

Sentido e Chico Xavier

De repente, muitas coisas começaram a fazer sentido pra mim.
O sono perdido, o sono profundo, a mão gelada e suada, as dores, o choro, a raiva, a euforia...
Será?
O homem que consegue ver a alma das pessoas disse que sim.
E agora? Pra onde ir?
Vamos deixar a poeira baixar e depois encontrar o caminho.
Não vai ser fácil, e vai ter muitos sacrifícios, mas é aquilo que devo cumprir.

Namastê!

________________________________________________

Mudando de assunto, mas não muito:
Ontem fui no cinema ver a estréia de "Chico Xavier".
Aquilo sim foi uma vida cheia de sacrifícios!!!
O filme é excelente, recomendo... Nelson Xavier fez uma caracterização perfeita de Chico, fazendo com que, no final, quando aparecia o verdadeiro Chico Xavier, muitos no cinema se perguntassem: "É ele mesmo ou ainda é Nelson?"
A história também tem seus momentos de humor... Ou seja, preparem-se para chorar muito e rir demais!
Aliás, hoje, quando eu estiver no avião indo pra casa da Luciana Onofre, e acontecer alguma turbulência no vôo, ao invés de me desesperar, vou me lembrar de Chico Xavier e começar a rir sem parar hahahahahaha

PS: Volto dia 07/04... Beijos e até lá!

domingo, 28 de março de 2010

Talvez

"Você parece que está morrendo!"

Foi o que ela escutou do homem que consegue ver a alma das pessoas.

Talvez por causa das olheiras, marcas do trabalho exaustivo;
Talvez pela solidão estampada na tristeza do seu olhar;
Talvez pelo muro que ela mesma criou a sua volta, e agora não consegue mais derrubar.

É... Pode ser que ela esteja morrendo sufocada dentro de seu próprio casulo...

sexta-feira, 12 de março de 2010

Espera

A espera pelo que talvez não aconteça é tão cruel quanto a certeza daquilo que nunca vai existir.



Cansada...

Mais um selinho chegando pelo cyber correio

Ganhei do blog da Ana Paula Moreto e agora repasso para outros.
Regra: falar 7 coisas sobre você e indicar sete outros blogs.

Coisas sobre mim: sou perfeccionista, ansiosa, chorona e irônica. Gosto de ficar sozinha muitas vezes e de olhar para o nada pela janela de casa. Não tenho medo de enfrentar os problemas.

Blogs que indico:
Germinando
Crianças Pagãs
Ora Bolas de Pelo
Dea Matter
Poeta às Avessas
Relacionando
Sonhos Retalhados

terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

Visão noturna

Essa noite fiquei horas olhando a cidade dormir.
Janelinhas acendendo e apagando suas luzes de uma forma que parecia até ensaiada.
Algumas luzes ficaram acesas a noite toda, fiquei imaginando se a pessoa teria medo do escuro...

O asfalto brilhando com o reflexo da luz nas gotas da chuva que tinha caído um pouco antes.
E tudo em silêncio!

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

"Milhões de vasos sem nenhuma flor"

A única coisa que ela queria encontrar no momento era um 'vaso florido'.
Um ser pensante, e não uma pessoa envolvida em um mundo comandado pelo "ser o que o outro deseja". Alguém livre e único.
Alguém que a deixe ser o que realmente é, e nada mais.

(Título: trecho da música "Relicário", de Nando Reis).